O Manual do Yeti está de volta, agora na sua versão definitiva

O Manual do Yeti está de volta, agora na sua versão definitiva

Tempo de leitura: 2 minutos

Manual do Yeti

Em meados de 2015, enquanto escrevia o livro A Aliança dos Magos, tive uma ideia de escrever um livro de terror sobre o Abominável Homem das Neves, o Yeti. Ele se passaria numa aldeia nas montanhas e o enredo era sobre o desaparecimento de uma menina durante o inverno.

Os aldeões se trancavam em suas casas naquela época devido a aparição do Yeti, cujo nome era Polus. Mas a menina havia desaparecido, então o seu pai, líder da aldeia, decide criar um grupo de buscas. Eu lembro também que haveria uma cachorrinha branquinha e peludinha que os ajudaria. O nome do livro seria “Doze Semanas” e cada capítulo envolvia uma semana inteira.

Entretanto, tive um bloqueio criativo lá no início da escrita do segundo capítulo. Todos esperam que o Abominável Homem das Neves fosse mal, mas e se ele não fosse? E como eu tinha a ideia de lançar um livro infanto-juvenil, imaginei a ideia perfeita: um Yeti bonzinho. Foi assim que nasceu o Manual do Yeti.

manual do yeti
Luna encontra o Yeti pela primeira vez

Para os curiosos pela primeira versão da história, note que o conto Luna do Manual do Yeti é muitíssimo semelhante com o que acabei de contar. Sofia é a menina desaparecida; existe uma cachorrinha chamada Luna e o pai de Sofia é o líder da aldeia. Polus foi substituído pelos lobos, que são a principal ameaça do inverno.

Eu sempre gostei de histórias de faraós, piratas, xerifes do Velho-Oeste, detetives e ficção científica sobre viagem no tempo, portanto nada mais justo do que envolver o Yeti nessas aventuras. Foi um grande exercício de imaginação para que ele ficasse envolvido nessas histórias malucas e o resultado foi bastante positivo.

E, orgulhosamente estou publicando novamente na Amazon o Manual do Yeti, agora sim com a capa vermelha como eu sempre imaginei. Como há um Manual do Yeti na história, gostaria que os leitores sentissem ao lê-lo que também estão segurando o seu próprio Manual do Yeti.

Há uma pequena mudança significativa no próprio conto de Luna: no final, acontecia uma tragédia que julguei depois de anos que caberia melhor naquela história de terror que imaginei antes. Agora, o primeiro conto é bem mais agradável do que antes.

Espero muito que vocês se divirtam com a leitura e compartilhe comigo suas opiniões. E lembrem-se: Não alimentem o Yeti com Doces.

É a primeira regra do Manual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *